A carregar...
  • R. Misael Pedreira da Silva, 98 - Santa Lucia, Vitória - ES, 29056-940
  • Seg a Sex de 08 às 18h

Blog

Lentes Biosoft 1Day: as vantagens da lente descartável

De uma aspiração de Leonardo da Vinci a um dos utensílios mais úteis do mundo, as lentes fazem parte do cotidiano de milhares de pessoas. Desde a lente descartável à de uso prolongado, a sua evolução é surpreendente.

Tamanha demanda obviamente impulsionaria muita pesquisa e investimento em tecnologia. Consequentemente, as opções que existem hoje no mercado, tanto em termos de materiais, como em eficiência e conforto, são surpreendentes.

Lente descartável e de uso diário

As lentes de contato descartáveis vêm ganhando muita popularidade entre os consumidores por seus benefícios tanto à saúde quanto à conveniência.

Elas levam esse nome pois, após seu uso, são descartadas para que um novo par de lentes seja então aplicado aos olhos na próxima aplicação.

É importante, porém, entender que uma lente descartável não é a mesma coisa que uma lente de uso diário.

As lentes de contato de uso diário são aquelas de uso contínuo, mas que devem ser removidas antes de dormir e demandam cuidados, devendo ser armazenadas em um estojo com solução de limpeza para uso no dia seguinte. Ou seja, a maioria das lentes de contato é de uso diário.

Algumas lentes de uso diário não precisam ser removidas durante a noite, porém, essa opção depende da aprovação de um médico oftalmologista, pois, na maioria dos casos, não se deve dormir usando lentes, uma vez que isso aumenta consideravelmente o risco de infecção por bactérias ou parasitas.

Já as lentes descartáveis são somente de uso diário, certo? Não exatamente!

Na verdade, para o usuário de lentes, o termo “descartável” nem sempre significa uso único. Esse tipo de lente pode ser substituída diariamente, quinzenalmente ou mensalmente, dependendo da marca. 

Lentes de uso diário descartadas a cada quinze dias, por exemplo, também são chamadas de descartáveis. Enquanto “1 Day” é o termo específico para lentes que são removidas e descartadas diariamente.

No passado, o uso das lentes descartáveis era também limitado à correção de alguns problemas de visão. Hoje, porém, elas podem ser encontradas em diferentes opções, incluindo as multifocais, assim como para correção de astigmatismo, entre outras funções, desenvolvidas em materiais mais saudáveis ​​e mais respiráveis, e com tecnologia de primeira!

Principais vantagens das lentes de contato descartáveis

  • Reduzem praticamente a zero o risco de contaminação por serem descartáveis;
  • Dispensam cuidados com armazenamento pós uso (pois são descartáveis);
  • Dispensam cuidados com limpeza;
  • São ideais para se levar a ambientes onde a manutenção é complexa, como a um camping, por exemplo;
  • ​​Estão em constante evolução;
  • Estão se tornando cada vez mais acessíveis.

Biosoft 1Day

A Central Oftálmica é uma empresa especializada na importação e distribuição de lentes de contato e oferece uma linha de produtos de extrema qualidade e com Tecnologia de Alto Desempenho.

Dentre diversas lentes que fazem parte do catálogo da Central Oftálmica, as Biosoft 1Day são a grande novidade em termos de lentes descartáveis.

As Biosoft 1 Day são extremamente confortáveis e, além disso, contam com a tecnologia AQUAGRIP ™, capaz de manter o olho úmido e em contato com o fluido lacrimal, o que faz com que a córnea não fique seca mesmo no final do dia. Outra vantagem dessa lente está em sua superfície não iônica, o que rejeita a sujeira indesejável.

As lentes Biosoft 1 Day são para uso em um único dia e devem ser descartadas após o uso e, por isso, dispensam o uso de produtos de limpeza químicos.

Características das lentes Biosoft 1 Day

  • Conforto sedoso e duradouro;
  • Componentes livres de alergia;
  • Design asférico avançado;
  • Saúde ocular melhorada;
  • Tecnologia verde na indústria (80% menos plástico, 70% menos uso de água);
  • Lente mais higiênica (sem contato humano durante todo o processo de fabricação).

Se você ainda não experimentou esse tipo de lente, converse com seu oftalmologista. As lentes de contato descartáveis 1 Day são biocompatíveis e, por isso, praticamente não encontram restrições de uso. Porém, é importante que um especialista faça uma avaliação e confirme a possibilidade de uso.

Na verdade, sempre que falamos de lentes de contato, dois preceitos são fundamentais: consultar um especialista de sua confiança e usar lentes de qualidade!

Presbiopia: o que é e como minimizar seus efeitos

A presbiopia é uma condição relacionada à idade, popularmente chamada de “vista cansada”, que causa uma piora da capacidade dos olhos em focalizar objetos muito próximos. Geralmente começa por volta dos 40 anos e afeta a todos, mesmo aqueles que nunca tiveram problemas de visão antes.

Quando a presbiopia começa, é comum o ato de apertar os olhos ou segurar os materiais de leitura esticando os braços, na tentativa de conseguir acertar o foco. A fadiga ocular e a dor de cabeça são sintomas comuns da presbiopia.

A maioria dos especialistas acredita que a presbiopia é causada por alterações do cristalino dos olhos, cuja estrutura é semelhante a de uma lente. À medida que as pessoas envelhecem, essa “lente” fica mais dura e menos elástica, dificultando a focalização dos olhos em objetos próximos.

Sintomas ligados à presbiopia

  • Necessidade de afastar objetos para conseguir ler;
  • Dificuldade em focar imagens ou letras pequenas;
  • Impossibilidade ou muita dificuldade para ler a uma distância normal;
  • Dores de cabeça ou fadiga após tarefas que envolvem a visão de perto;
  • Súbita necessidade de mais claridade para realizar atividades que demandam uma visão mais próxima.

Como tratar a presbiopia

Durante séculos, a presbiopia foi corrigida com o uso de óculos bifocais. Hoje existem muitas maneiras de corrigir a presbiopia com óculos, lentes de contato e cirurgia.

Lembrando que é muito importante consultar um oftalmologista quando os sintomas da presbiopia começam a aparecer. Este profissional poderá fazer o diagnóstico correto, bem como indicar a forma mais adequada para a correção do problema.

A seguir vamos falar sobre cada uma delas:

Óculos de grau para presbiopia

Se você nunca usou óculos antes e desenvolveu presbiopia, talvez estranhe um pouco ter que usá-los sempre que que precisar ver algo de perto. São os chamados óculos de leitura. Você os usa quando quer ler ou precisa visualizar com clareza algum objeto próximo.

O problema é que esse tipo de lente causa desconforto quando focamos em algo distante e nem todos se acostumam com isso.

Nesse caso, o uso de lentes bifocais pode ser uma solução, com o grau somente na parte inferior da lente.

Outra alternativa às bifocais são as chamadas “lentes progressivas”, pois proporcionam uma suave progressão entre os graus e não causam uma mudança abrupta na visualização de objetos em distâncias diferentes.

Cirurgia de presbiopia

A cirurgia de presbiopia se vale da técnica LASIK (iniciais de Laser-Assisted in Situ Keratomileusis), a mesma usada para corrigir erros refrativos como a miopia, hipermetropia e o astigmatismo.

Outra técnica bastante utilizada é a CK (Queratoplastia Condutiva), que usa ondas de rádio para alterar a superfície da córnea e também pode induzir a mono visão, mas o efeito não é duradouro. Além disso, várias outras correções cirúrgicas para a presbiopia atualmente em fase de testes clínicos, em num futuro próximo estarão acessíveis ao público em geral.

Lentes de contato para presbiopia

Nos primeiros estágios da presbiopia, os chamados “presbíopes emergentes” são muitas vezes desagradavelmente surpreendidos pela nova dificuldade em ver de perto, especialmente quem nunca teve problemas de visão antes. Além disso, muitos estão insatisfeitos com a ideia de usar óculos bifocais.

Felizmente, as lentes de contato bifocais e multifocais estão agora disponíveis em diversos modelos e materiais, como no caso das gelatinosas, que proporcionam muito conforto ao usuário.

Semelhante aos óculos bifocais, estas lentes de contato são prescritas para corrigir problemas de visão à distância e de perto. No caso das multifocais, elas também oferecem variações adicionais para corrigir a visão próxima, intermediária e distante.

A Bioview Multifocal é uma opção de lente de contato desenvolvida pela Central Oftálmica para proporcionar mais conforto e eficácia à sua visão.

A Bioview é produzida com polímero Methafilcon A, material hidrofílico de alta performance que garante maior hidratação e conforto, e é moldada através do inovador e patenteado processo ‘‘Micro Molden System’’, que proporciona a correção das aberrações visuais.

Neste artigo, publicado no blog da Central Oftálmica, você conhece mais sobre essa lente e confere um passo a passo para o sucesso na adaptação da lente multifocal de uma forma mais tranquila.

Mas seja qual opção você escolher, saiba que a presbiopia progride com o tempo, e sua prescrição de lentes de contato ou de óculos podem aumentar para acompanhá-la. Exames oftalmológicos regulares garantirão que sua receita esteja sempre atualizada e proporcionando a melhor visão possível.

Depósito de proteínas nas lentes de contato: o que é, e como resolver?

Lentes de contato são indiscutivelmente uma das mais eficazes formas de se garantir a correção de problemas de visão, com a vantagem de serem praticamente imperceptíveis.

Porém, para garantir sua eficácia e uma visão cristalina, é fundamental que cuidados com a sua manutenção sejam tomados. Do contrário, há o risco de surgimento de alguns problemas decorrentes dessa falta de cuidados, entre eles, o acúmulo de proteínas, do qual vamos falar um pouco a seguir.

Acúmulo de proteínas nas lentes de contato

O acúmulo de proteínas é uma consequência comum para usuários de lentes de contato, sendo mais comum nas do tipo gelatinosas.

E de onde vem, afinal, essa “proteína”? Vem das lágrimas, que são secreções cuja função é limpar e lubrificar nossos olhos.

Esse processo é feito através da lacrimejação, que é a produção das lágrimas, que por sua vez são formadas por água, sais minerais, proteínas e gordura.

Sendo assim, as lentes de contato em nossos olhos acabam por estar imersas nessa solução da qual é composta a lágrima, e os materiais protéicos estarão, continuamente, em contato com a superfície das lentes, o que gera invariavelmente seu acúmulo.

Existem duas maneiras mais comuns pelas quais esse acúmulo ocorre. A primeira é a absorção através da atração eletrostática de proteínas (especialmente lisozima) para a superfície de uma lente carregada negativamente.

A lisozima é uma proteína protetora, que existe em concentração relativamente alta na lágrima e é carregada positivamente. As lentes de contato ficam negativamente carregadas devido à presença do ácido metacrílico na composição do polímero, um dos materiais pelo qual são produzidas as lentes. Essa carga negativa acaba por potencializar a absorção da lisozima pela superfície da lente.

Já a outra maneira ocorre em lentes gelatinosas e em nível molecular. Parece complexo, mas é bem simples de entender. Todas as lentes de contato gelatinosas são estruturas de água e polímero, onde a água é uniformemente absorvida pela superfície do polímero. As moléculas de proteína são de 100 a 1.000 vezes maiores que as estruturas de monômero ou água.

Devido ao seu tamanho, as moléculas de proteína não são capazes de penetrar totalmente na matriz polimérica, ocasionando o acúmulo na superfície do material.

Porém, quando as lentes são removidas de nossos olhos e colocadas em uma solução de limpeza, as proteínas acumuladas devido ao líquido lacrimal, deixam a superfície da lente de contato, que retorna a um nível zero de proteína.

Sintomas do acúmulo de proteína nas lentes de contato

  • Intolerância às lentes de contato;
  • Olhos vermelhos;
  • Sensação de corpo estranho, ardência e incômodo nos olhos;
  • Visão embaçada.

Como evitar o acúmulo de proteína nas minhas lentes de contato?

Limpe suas lentes com solução salina

Embora a maioria das soluções sejam suaves e livres de elementos sólidos em sua composição, o acúmulo de proteína demanda fricção ativa para sua remoção. Para tanto, utilize a solução salina da seguinte forma:

Depois de remover cada lente de contato, coloque-a na palma da mão e preencha-a com a solução salina. Esfregue suavemente a lente de contato de cada lado por cinco a 10 segundos e coloque-a em uma caixa de lentes de contato com solução salina nova.

Use colírios

Colírios específicos são muito eficientes para limpar suas lentes durante o uso diário. Eles removem o acúmulo de proteínas e mantêm suas lentes higienizadas por muito mais tempo. Consulte seu oftalmologista para saber qual o mais indicado para você.

Troque as lentes regularmente

A maioria das lentes de contato gelatinosas são desenvolvidas para uso diário, quinzenal ou mensal. Para usuários de lentes com maior propensão a maior acumulo de proteína, as lentes diárias podem ser uma solução. E, claro, assegure-se de cumprir à risca os prazos sugeridos de uso.

Elimine os detritos potenciais

Produtos de maquiagem podem cair na lente de contato e facilitar que o acúmulo de proteína aconteça. Para reduzir esse risco, aplique o produto de maquiagem e cabelo antes que as lentes sejam inseridas. Depois de remover suas lentes lave bem seu rosto para evitar que partículas da maquiagem não entrem em contato com olhos durante a noite.

Quer saber mais sobre os tipos de lentes de contato e toda a tecnologia envolvida em sua fabricação? É só clicar aqui para receber nosso e-book “Como as lentes de contato são produzidas?”

[Astigmatismo] O que é, quais as causas, sintomas e tipos de tratamento

Você sabe o que é astigmatismo? Talvez conheça alguém que seja portador dessa condição, ou está experimentando sintomas como a visão borrada quando olha para objetos que estão próximos e distantes.

Se essa falta de nitidez para enxergar objetos descreve a sua situação, saiba que não está sozinho! O astigmatismo é uma condição muito comum. Você provavelmente já ouviu o termo muitas vezes. Mas o que exatamente é isso?

O que é astigmatismo?

Nossos olhos são órgãos que funcionam como uma câmera fotográfica constituída por lentes que captam a imagem e a conduzem ao cérebro, onde realmente se processa a visão.

Para que o olho cumpra seu papel, é preciso que haja luz. Entretanto, isso não basta se existirem alguns defeitos de visão. Por exemplo, pessoas com hipermetropia enxergam mal de perto. Nos míopes, é a visão de longe que está comprometida e, quem tem astigmatismo, enxerga “tudo embaçado”.

E por que isso acontece? Bem, o astigmatismo é uma condição derivada de uma córnea que se desenvolve de forma irregular. Em vez de serem moldadas de forma circular e harmônica em relação ao globo ocular, as córneas formam uma curvatura desigual tornando-se demasiadamente ovais. Isso causa um erro de refração, distorcendo a luz ao entrar nos olhos. Como resultado, as imagens aparecem desfocadas.

Crianças ou adultos nessa condição normalmente têm dificuldade para ler textos ou ver detalhes em objetos próximos ou distantes.

Para saber se você sofre de astigmatismo, é necessário uma consulta com o oftalmologista. Porém, há um teste caseiro que permite identificar os sinais e poderão ajudá-lo a identificar se você tem ou não uma propensão a essa condição.

Causas do astigmatismo

Ninguém sabe exatamente sua causa. No entanto, embora possa haver diferentes origens para a formação do astigmatismo, há uma razão que geralmente é a mais comum: a hereditariedade. 

Se você tem uma visão embaçada, olhe para a sua árvore genealógica. Seus pais ou outros parentes provavelmente também a têm.

E você sempre herda o astigmatismo? Não, às vezes um trauma no olho pode desencadear essa condição. 

Há também o ceratocone, uma doença genética mais rara, de caráter hereditário e evolução lenta, que se manifesta normalmente entre 10 e 25 anos de idade, mas pode progredir até a quarta década de vida ou estabilizar-se com o tempo.

Nas fases iniciais, quando a deformação da córnea não é grave, o uso de óculos é suficiente para recuperar a acuidade visual. No entanto, à medida que o ceratocone evolui, os óculos precisam ser substituídos por lentes de contato, que ajudam a ajustar a superfície anterior da córnea e a corrigir o astigmatismo irregular provocado pela deformidade.

Quer seu astigmatismo seja leve – ou não tão leve -, será necessário algum tipo de correção médica para uma visão clara. Felizmente, a maioria das irregularidades no globo ocular causadas pelo astigmatismo são facilmente corrigíveis.

Sintomas do astigmatismo

O sintoma mais claro de quem é portador dessa condição é a falta de nitidez. Pessoas que sofrem de astigmatismo têm dificuldade em ver objetos próximos e distantes com clareza. Dores de cabeça frequentes também são comuns.

No entanto, a visão embaçada e as dores de cabeção não significam automaticamente que você tem astigmatismo. Podem significar outra coisa. Porém, ao perceber esses sintomas de forma prolongada, você deve procurar imediatamente um médico oftalmologista.

Os sintomas mais comuns são:

  • Não conseguir ler letras pequenas
  • Dificuldade de leitura
  • Visão dupla
  • Incapacidade de ver de perto e de longe sem apertar os olhos
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Piora da acuidade visual à noite (miopia também causa piora da acuidade visual noturna)
  • Dificuldade com foco em palavras e linhas impressas
  • Tensão do olho
  • Olhos cansados
  • Dores de cabeça

Com alguns testes rápidos (e indolores), seu oftalmologista pode avaliar se você ou um membro da família possui o transtorno e quais medidas devem ser tomadas para corrigir o problema.

Para diagnosticar o astigmatismo, o médico pode realizar até quatro tipos de exames:

  • Exame de visão, onde é utilizado um gráfico padronizado, em que o paciente deve ler quadros de letras em diferentes tamanhos;
  • Exame de refração, através da utilização de um aparelho chamado  foróptero, o médico usará lentes corretivas para escrever uma receita para óculos ou lentes de contato de acordo com o que funcionou para você;
  • Ceratometria, que consiste na utilização de um aparelho (ceratômetro) para determinar as curvas mais íngremes e mais planas da córnea, permitindo o diagnóstico;
  • Topografia da córnea, um exame que se faz com o uso de tecnologia avançada capaz de fornecer informações mais detalhadas sobre a forma da córnea com o auxílio de um computador. Esse exame é também muito eficaz para o diagnóstico de ceratocone.

Tratamento para astigmatismo

Felizmente, a maioria das formas de astigmatismo é fácil de se tratar, sendo três as opções corretivas mais comuns:

  • Óculos
  • Lentes de contato
  • Cirurgia refrativa

O objetivo da cirurgia refrativa é corrigir o problema através da reformulação da superfície do olho. É necessário, porém, uma avaliação médica que determine se você está apto para receber uma cirurgia refrativa.

Tenha em mente que, quando se trata de correção da visão para o astigmatismo, existem diversas peculiaridades e nem todas as escolhas são iguais. Além disso, pessoas com mais de 40 anos podem precisar de lentes multifocais ou bifocais.

Converse com seu oftalmologista sobre qual escolha é melhor para você e seu estilo de vida.

Lentes de contato para astigmatismo

O tipo de lentes de contato mais comum para a correção de astigmatismo são as tóricas.

Essas lentes possuem uma zona mais grossa na parte inferior para evitar que elas se movam enquanto estiverem no olho. Isso ajuda a simplificar o encaixe e traz mais conforto ao usuário.

A Central Oftálmica oferece três opções de lentes específicas para correção de astigmatismo, com uma taxa de êxito na adaptação de 98%.

Conheça as lentes tóricas da Central Oftálmica:

Bioview

As lentes Bioview são produzidas por meio de um processo inovador e patenteado pelo fabricante, o Micro Molden System; ou seja, um processo de moldagem por microprecisão. Ele garante que as lentes tenham um ajuste ideal nos olhos, o que torna o uso das lentes ainda mais seguro e confortável.

Na fabricação da Bioview é utilizado um polímero hidrofílico, o que garante hidratação superior e evita o depósito de proteínas, incluindo bactérias.

Silidrogel

Produzidas com Silicone Hidrogel Super-permeável, as lentes Silidrogel, além de confortáveis, proporcionam maior lubrificação aos olhos, pois contêm hialuronato de sódio, que também garante umidade e re-hidratação.

As lentes Silidrogel são eficazes em relação à redução de depósitos de proteínas e bactérias que aderem à superfície da lente, diminuindo significativamente a probabilidade de infecção.

Biosoft

As lentes Biosoft são produzidas com material hidrofílico de alta performance pelo inovador e patenteado processo de “Micro Molden System”. Toricidade interna e desenho asférico que proporcionam a correção das aberrações visuais que traduz a excelência deste produto. O polímero Methafilcon A tem uma alta afinidade com a água, permitindo a hidratação ideal para proporcionar maior conforto.

A Central Oftálmica atua há mais de 30 anos no mercado de lentes de contato e é uma empresa reconhecida pela qualidade e Tecnologia de Alto Desempenho com a qual produz seus produtos.

Clique aqui e conheça nossa linha de lentes de contato.

||||Colírio para quem usa lente de contato||||||||

Quais são os problemas decorrentes do mau uso da lente de contato?

Muitos dos casos relatados de danos oculares relacionados às lentes de contato são decorrentes de mau uso, incluindo ações aparentemente “inofensivas”, como dormir usando lentes ou usá-las além do tempo recomendado.

Nos últimos anos, segundo estudo divulgado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças, nos EUA, um quarto dos casos reportados sobre infecções da córnea relacionados a lentes de contato, que envolviam úlceras ou ceratite, e inflamações da córnea, incluindo lesões graves, poderiam ter sido evitados com o uso adequado das lentes de contato.

Embora as lentes de contato sejam uma forma segura e eficaz de corrigir a visão, é necessário que os cuidados com a higiene e escolha de marcas confiáveis, indicadas por seu oftalmologista, sejam adotados.

Infelizmente, nem todos levam esse cuidados à sério. O abuso mais comum está relacionado ao uso prolongado das lentes, por um período muito acima daquele pelo qual elas foram especificadas. Outros relatos são decorrentes de pessoas que insistem em usar produtos com prazo de validade expirado, ou armazenando lentes em água (ao invés de soluções próprias para essa função), ou ainda usando lentes enquanto nadam.

Os patógenos, ou seja, os agentes infecciosos mais comuns que se formam decorrentes desse mau uso são Pseudomonas, Acanthamoeba, Fusarium e Staphylococcus.

Ou seja, lentes de contato podem melhorar drasticamente sua capacidade de ver, mas seu mau uso pode, sim, criar problemas. Vejamos quais são os mais comuns.

Problemas decorrentes do mau uso da lente de contato

Erro 1: Não renovar a solução de limpeza da lente contato

Usar corretamente a solução de limpeza e conservação é fundamental para desinfetar as lentes de contato, removendo bactérias e outros germes ambientais que podem se alojar em seus olhos.

Algumas pessoas, pensando equivocamente em uma forma de economizar dinheiro, acabam por reutilizar essas soluções noite após noite, sem perceber que está colocando seus olhos em risco. Fazendo uma analogia, seria o mesmo que lavar seus pratos em água suja e esperar que eles se mantivessem limpos. Seus olhos acabam ficando expostos a um risco muito maior de infecção. E nem pense em “limpar” suas lentes em água corrente. A água da torneira pode conter cloro e outros microrganismos. E, em última análise, essa prática pode inclusive danificar sua lente de contato.

Erro 2: usar suas lentes continuamente por muito tempo

Seus olhos precisam de oxigênio e é por isso que eles precisam de uma “folga” de tempos em tempos. Quando você está usando suas lentes, a quantidade de oxigênio que chega à córnea é limitada. E mesmo no caso de lentes permeáveis, inclusive aquelas projetadas para uso durante a noite, só podem ser usadas de forma prolongada estritamente de acordo com o indicado por um oftalmologista de confiança.

O olho é o único tecido no corpo que recebe oxigênio do ar, e não através do suprimento de sangue. Se os olhos não estão recebendo uma quantidade satisfatória de oxigênio, eles podem estimular uma formação excessiva de vasos sanguíneos na tentativa de fornecer oxigênio e nutrientes por outra via. Algo que, em longo prazo, pode obscurecer a visão.

Especialistas recomendam o uso de lentes por cerca de 12 a 16 horas, ao dia, no máximo, e que elas sejam retiradas durante a noite para dar uma pausa aos olhos. Há ainda quem aconselhe a escolher um dia da semana para dar um descanso aos olhos e não usá-las

Olhos com pouca oferta de oxigênio tendem a ter uma imunidade baixa, o que os torna mais suscetíveis a infecções oculares.

Erro 3: Usar lentes de contato descartáveis ​​por mais tempo do que o recomendado

O regime de limpeza é essencial, especialmente se você estiver usando lentes destinadas a uso de tempo determinado. No entanto, de nada adianta seguir à risca os cuidados com a higiene se os prazos de validade das lentes não forem respeitados. Isso significa aumentar o risco de expor seus olhos aos depósitos de sujeira e proteína que se acumulam. O uso acima do permitido e o desgaste também acumulam excessivamente os produtos químicos e conservantes contidos em soluções de limpeza, o que pode levar à irritação da vista.

Feitas basicamente com plástico gel e água, elas são finas e podem perder sua forma e conforto. No caso das permeáveis, elas acabam funcionando como esponjas e, uma vez com o prazo vencido, irão acumular sujeira entre outras substâncias, não importa quão grande seja o seu esforço para mantê-las limpas.

Outra solução é o uso de lentes descartáveis diárias que reduzem em 50 % o risco de infecções, de acordo com estudos. Afinal, você estará colocando uma lente nova e cristalina em seus olhos todos os dias.

Erro 4: Usar lentes de contato em piscinas, banheiras ou durante o banho

Bactérias, parasitas e outros organismos tendem a se esconder em banheiras de hidromassagem ou piscinas. Oftalmologistas relatam que muitas infecções se manifestam em pessoas que anteriormente realizaram atividades relacionadas à água usando lentes.

Isso não significa que qualquer pessoa que entrar na água usando lentes irá contrair algum tipo de infeção. Mas, há o risco. Isso porque a lente, imersa em água, acaba funcionando como uma esponja para organismos microscópicos, permitindo que eles entrem em contato com os olhos e ali floresçam.

Se você estiver usando lentes enquanto estiver na água, mantenha suas pálpebras fechadas, seque bem a região dos olhos e limpe bem as lentes para ter certeza de que bactérias que eventualmente ali estejam sejam mortas.

Erro 5: Seguir usando lentes quando os olhos estão visivelmente irritados

Se você colocar a lente no olho e sentir dor ou desconforto, retire-a imediatamente. Às vezes, o desconforto pode ser decorrente de pequenas rachaduras ao longo da borda da lente ou sujeira, que acabam por irritar os olhos. No entanto, persistir em seu uso com essa sensação de desconforto, ainda que pequena, certamente agravará o problema.

Esse é um exemplo de situação banal que pode se tornar perigosa. Respeite os sintomas, mantenha suas lentes limpas e corretamente armazenadas, e procure um médico oftalmologista de sua confiança se o problema persistir.

Lembre-se, a adaptação de lentes de contato só deve ser feita por um oftalmologista de sua confiança, pois somente esse profissional está apto a orientar a escolha mais indicada para cada caso.

Quer saber mais sobre os problemas de visão e as lentes ideais para cada caso? Confira nosso eBook gratuito! É só clicar aqui para receber o material!

||||||mulher nadando de costas em piscina||||||||||

[Mito ou Verdade] Descubra o que é verdade e o que não passa de história quando o assunto é lente de contato!

A compra de lentes de contato pode ser um processo confuso e até mesmo frustrante, especialmente se você ainda não tem muita experiência no assunto. Enquanto a internet é um ótimo lugar para encontrar informações, manter-se atualizado com as últimas novidades e encontrar as melhores ofertas, ela também pode conter muitas informações falsas, as tão conhecidas Fake News.

Assim, para garantir que a escolha das lentes de contato seja um processo fácil, compilamos uma lista de mitos e verdades mais comuns sobre esse tema.

Lentes de contato podem prevenir miopia em crianças

Falso!

Miopia é uma condição comum em muitas crianças e um problema ocular hereditário. As lentes de contato podem ajudar a melhorar a visão, mas não podem curar a miopia. No passado, acreditava-se que o uso de lentes de contato rígidas poderia controlar a miopia, impedindo a sua evolução, porém, os resultados detectaram um quadro de melhora mínima e não representam uma amostra que permita sustentar a tese de que lentes de contato sirvam para prevenir a miopia nos olhos.

Lentes de contato podem aumentar a miopia em crianças

Falso!

Em contraste à teoria acima, existe uma pequena minoria que acredita que usar lentes de contato pode aumentar as chances de miopia. O National Institute of Health reconhece que o uso de lentes de contato ou óculos não interfere na sua progressão, e a Associação para Pesquisa em Visão e Oftalmologia (Arvo.org) endossa, desde 2008, que não há qualquer relação entre o uso de lentes e o aumento da miopia em crianças.

O uso de lentes cria dependência

Falso!

Lentes, sejam de contato ou de óculos, ajudam a melhorar a visão. Optar entre usar lentes de contato, ou não, apenas enfatiza o quanto você precisa delas em primeiro lugar!

Usar lentes de contato mal ajustadas pode prejudicar seus olhos

Verdade!

Usar lentes de contato mal ajustadas pode danificar sua córnea. Esta é a parte do olho que reflete a luz e é a parte frontal transparente do olho que cobre a íris, a pupila e a câmara anterior do globo ocular. Para evitar que isso aconteça, você deve fazer exames regulares nos olhos junto a seu oftalmologista para garantir que está usando as lentes corretamente ajustadas.

Você pode nadar usando lentes de contato gelatinosas

Falso!

Piscinas contêm muitos contaminantes e bactérias. Usar lentes de contato durante a natação pode aumentar as chances de você ter uma infecção ocular bem desagradável. A acanthamoeba, por exemplo, é uma ameba que pode ser comumente encontrada em muitas fontes de água doce, incluindo piscinas. Se esse parasita se infiltra no olho, pode causar dor e, em casos extremos, resultar em transplante de córnea. Além disso, a água na piscina pode mudar a forma como as lentes de contato modernas se encaixam, fazendo com que elas se estreitem.

Se você decidir usar lentes de contato enquanto estiver nadando, é recomendável que use óculos de proteção por cima de suas lentes de contato ou use aquelas que são descartáveis, para serem jogadas fora logo após o contato com a água.

É possível aplicar maquiagem usando lentes de contato

Verdade!

Basta colocar as lentes antes de começar a aplicar a maquiagem e também retirá-las antes de remover todos os produtos.

No entanto, alguns cuidados devem ser tomados, é claro, para evitar problemas com o uso de lentes de contato. Prefira produtos hipoalergênicos, pois eles evitam reações alérgicas e também reduzem as chances das lentes absorverem fragmentos. Outra dica é não compartilhar seus apetrechos de maquiagem, pois você pode pegar uma conjuntivite ou outra doença mais grave que, além de incomodar seus olhos, ainda contaminará suas lentes.

Lentes de contato podem se mover e ficar perdidas atrás do olho

Falso!

Depois de esfregar os olhos, às vezes pode parecer que uma lente de contato gelatinosa se moveu mais do que deveria e está indo para trás do olho. Só que isso é fisicamente impossível.

A conjuntiva é um membrana mucosa fina e transparente que recobre a parte branca do olho (esclera) e também as pálpebras. Esse revestimento contínuo impede que qualquer coisa fique presa ou perdida na parte de trás do globo ocular.

No entanto, pode acontecer da lente se dobrar e mover-se da córnea para se alojar sob a pálpebra superior. Se isso acontecer, apenas use algumas gotas de solução para reumidificação, seguido de uma massagem suave no olho fechado. Isso ajudará a reposicionar a lente de contato.

Lentes de contato são desconfortáveis

Falso!

As lentes de contato mudaram muito ao longo dos anos. Lentes de contato gelatinosas, como a Silidrogel, que são feitas de um novo material de hidrogel de silicone que permite mais oxigênio para os olhos, resultando em olhos mais saudáveis. O desgaste também é mais suave, confortável e fácil de usar, proporcionando a umidade durante todo o dia.

Embora o processo de colocação da lente de contato em seus olhos possa parecer assustador no começo, com a prática fica mais fácil. Desde que o portador das lentes siga todos os cuidados necessários, a experiência de uso torna-se praticamente imperceptível.

Se sentir dor ou desconforto prolongados, procure imediatamente o seu oftalmologista.

Crianças e adolescentes não podem usar lentes de contato

Falso!

Não há limite de idade para quem pode ou não usar lentes de contato. Tanto adolescentes quanto crianças podem usá-las sem problemas. Pesquisas mostram que a idade média para adolescentes usarem lentes de contato é 13 anos, mas é comum o uso em crianças a partir dos oito anos.

No entanto, embora não haja limitações físicas para que os jovens não usem lentes de contato, há uma preocupação em relação à maturidade necessária para que os cuidados com limpeza sejam seguidos.

Embora as lentes de contato sejam bastante fáceis de usar, sem um bom regime diário de cuidados, as infecções oculares são inevitáveis. Por isso, encoraja-se o uso a aquelas crianças que serão, de fato, responsáveis ​​o suficiente para seguir os procedimentos de higiene, como acontece com qualquer produto de saúde.

Normalmente nesses casos, as lentes de contato descartáveis ​​diárias exigem menos manutenção e por isso são frequentemente prescritas para usuários mais jovens. Seja qual for a sua decisão, recomenda-se sempre obter aconselhamento de um oftalmologista em primeiro lugar. Também é aconselhável fazer check-ups regulares nos olhos.

Um fato, porém, será sempre verdadeiro: consultar um oftalmologista e usar lentes confiáveis.

Já conhece as lentes de contato da Central Oftálmica? Atuamos há mais de 30 anos no mercado e somos reconhecidos pela qualidade e Tecnologia de Alto Desempenho com a qual produzimos nossas lentes.

Clique aqui e conheça nossa linha de lentes de contato.

Como são produzidas as lentes de contato?

Muita história e tecnologia estão por trás das lentes de contato que são usadas hoje. São resultado de séculos de evolução. Foi um longo caminho para produzirmos as lentes tal qual elas são concebidas atualmente. Que tal conhecer um pouco dessa história?

Tudo começou com Leonardo da Vinci

O primeiro esboço do que viria a ser a lente de contato veio a partir de uma ideia do gênio italiano Leonardo da Vinci, no ano de 1508. E, até chegarem ao que são hoje, as lentes passaram por uma enorme evolução.

Porém, somente em 1887 as lentes de contato ganharam um formato semelhante ao de hoje. A invenção, batizada de “lente escleral”, era feita de vidro e cobria toda a esclera, que é o “branco dos olhos” (razão do nome). No entanto, extremamente desconfortável, só permita poucas horas de uso.

A partir de 1930 o plástico entra em cena viabilizando novas abordagens, até chegarmos à criação da lente da córnea, o tipo mais comumente usado até os dias de hoje.

No entanto, sem permitirem o fluxo de oxigênio para os olhos, mesmo tendo seu tamanho reduzido, seu uso por longos períodos ainda era inviável.

Mas essa realidade iria mudar com a introdução do silicone hidrogel, em 1998. Mais confortáveis do que as rígidas, as lentes gelatinosas também têm uma permeabilidade ao oxigênio maior. Porém, outra opção de lente rígida plástica permeável ao oxigênio seria inventada mais tarde.

Atualmente as lentes se encontram em três classes de materiais:

  • Gelatinosas
  • Híbridas
  • Rígidas

Veja a seguir como são produzidas as lentes de contato

Lentes de contato gelatinosas

São produzidas através de um processo de corte em torno ou moldagem por injeção.

No caso do corte por meio de torno, os discos de hidrogel ainda não hidratados são montados individualmente em eixos de fiação e são moldados com ferramentas de corte de precisão controladas por computador.

Depois que as superfícies dianteira e traseira são moldadas com a ferramenta de corte, a lente é então removida do torno e hidratada para amolecer. Em seguida, passam por testes de qualidade.

Já na moldagem por injeção, o material da lente de contato macia é aquecido até um estado fundido, e é então injetado em moldes projetados por computador sob pressão. As lentes são então rapidamente resfriadas e removidas dos moldes. As bordas são polidas e alisadas, e então é feita a hidratação. Em seguida são feitos testes para garantir a qualidade do produto.

Lentes rígidas

Sua produção é feita sob medida de acordo com as especificações fornecidas pelo médico oftalmologista e, portanto, são mais caras do que as lentes gelatinosas.

A personalização é necessária para as lentes rígidas, pois elas mantêm sua forma e não se adaptam ao olho como as flexíveis.

Elas são feitas através de um processo de corte em torno de precisão computadorizado, semelhante ao usado nas gelatinosas. Mas geralmente elas são enviadas secas para o oftalmologista.

O médico, em seguida, embebe as lentes em uma solução antes de dispensá-las. Esta solução “condiciona” as superfícies das lentes para maior conforto de uso.

Lentes híbridas

Estas lentes têm uma zona ótica central feita de plástico rígido permeável a gás, cercada por uma borda feita de hidrogel.

As lentes híbridas são feitas de forma similar às lentes de contato gelatinosas, com a diferença dos discos centrais em plástico rígido RGP cortados por meio de um torno.

Em seguida, esse material é envolvido por outro, composto de polímeros plásticos hidrofílicos (o mesmo das lentes gelatinosas), não hidratado.

Os dois materiais são ligados através de um processo de fusão que se utiliza de tecnologia específica que garante a fixação dos materiais. Após esse processo, a lente é novamente recortada e, por fim, hidratada.

Como vimos, muito estudo e tecnologia foram empregados ao longo dos anos. No entanto, seja qual for o tipo, uma coisa é imprescindível: a escolha de lentes de contato de qualidade.

Aqui na Central Oftálmica você encontra produtos de extrema qualidade e com Tecnologia de Alto Desempenho, fundamentada nas normas e requisitos legais exigidos pela vigilância sanitária. As lentes são desenvolvidas dentro do sistema “Micro Molden System”, uma tecnologia exclusiva da Central Oftálmica, entre outras inovações, como as lentes de Silicone Hidrogel – Super-permeáveis, sistema estável Back Surface, entre outras tecnologias à sua disposição.

E se você quiser saber mais sobre qual delas melhor se adequa a você, descubra aqui!D

||||||Oftalmologista||||||

O grau das lentes de contato é o mesmo dos óculos?

Muita gente acredita que o grau das lentes de contato é o mesmo dos óculos, porém, nem sempre isso acontece. O motivo é que as lentes dos óculos estão posicionadas a aproximadamente 12 milímetros de seus olhos, enquanto as lentes de contato ficam diretamente sobre a íris do globo ocular.

Portanto, se você pretende usar lentes de contato e óculos, provavelmente precisará de duas prescrições separadas. A seguir, vamos explicar mais detalhadamente esse conceito.

Qual é a diferença entre o grau de uma lente de contato e de óculos?

Assim como em uma receita de óculos, a prescrição de lentes de contato aponta o grau necessário para que seja feita a correção do erro de refração – seja miopia, hipermetropia e/ou astigmatismo.

No entanto, dependendo do grau de erro de refração e do tipo de contato prescrito, os poderes especificados na prescrição de lentes de contato podem ser significativamente diferentes dos da prescrição dos óculos, para proporcionar a melhor visão possível.

Além disso, uma prescrição de lentes de contato contém especificações adicionais que não estão incluídas em uma receita de óculos, e elas só podem ser determinadas após um exame oftalmológico que incluirá ajustes abrangentes e peculiares ao uso desse dispositivo.

Características avaliadas em uma prescrição de lentes de contato

As nomenclaturas abaixo correspondem a avaliações comuns a ambos os casos e servem como parâmetros para a definição do grau a ser adotado:

OD: Olho Direito

OE: Olho Esquerdo

ODI: Olhos Direito e Esquerdo

AD: Adição

ESF: Esfera

CIL: Cilindro

VL: Visão ao Longe

VP: Visão ao Perto

AV: Acuidade Visual

VI: Visão Intermédia

Só que, no caso da lente de contato, outras avaliações precisam ser realizadas:

Curva-base 

A curva-base (CB) é o raio de curvatura central posterior da lente de contato, que se ajusta sobre a superfície da córnea. Para saber qual a curva-base da lente que você irá usar, é necessário um exame que meça a curvatura da superfície anterior da córnea, chamado de “Ceratometria”.

Diâmetro

O diâmetro da lente (DIA) especifica o tamanho total da lente e, juntamente com a curva-base, determina como a lente irá se encaixar. Na maioria dos casos, o diâmetro das lentes de contato gelatinosas varia de 13,5 a 14,5 mm, e o diâmetro das rígidas gás-permeáveis ​​(RGP) varia de 8,5 a 9,5 mm.

Marca ou material da lente

A marca e o material a serem usados também devem ser especificados em uma prescrição de lente de contato, pois cada material de lente tem um grau específico de permeabilidade ao oxigênio, ou seja, a capacidade que a lente tem de permitir que seus olhos “respirem”. Isso é especialmente importante se você pretende usá-las por mais tempo ou até mesmo dormir (desde que com a devida autorização médica).

Data de validade

Geralmente, uma lente de contato tem validade de um ano. Você precisará revisitar sua prescrição quando esse prazo estiver próximo de expirar. Uma avaliação da saúde de seus olhos deve ser feita antes da aquisição de lentes adicionais.

Vale ressaltar que existem casos em que o grau das lentes é o mesmo dos óculos, porém, só através da experiência e conhecimento na área é que o médico vai definir se os graus serão os mesmos ou não.

Além disso, seu oftalmologista só poderá lhe prescrever as lentes após uma avaliação de ajuste e considerando os aspectos acima abordados. A princípio, qualquer pessoa pode usar lentes de contato. Porém, existem certas situações em que a lente não é tão indicada, mas só esse profissional poderá fazer essa avaliação.

Uma nota sobre o uso de lentes de contato coloridas

Seja qual for a lente, colorida ou de grau, é necessário uma prescrição feita por um oftalmologista licenciado, mesmo que você não tenha necessidade de correção da visão e deseje apenas lentes de contato coloridas ou lentes de contato de efeito especial para alterar a aparência do olho.

Uma lente de contato, independentemente de ser usada para correção de visão ou para fins estéticos, é um dispositivo médico e, por isso, só podem ser adquiridas mediante consulta e indicação de um médico oftalmologista capaz de indicar a lente certa e de qualidade.

Acesse o site da Central Oftálmica e conheça o catálogo completo e todas as opções oferecidas por uma empresa que é referência na importação e distribuição de lentes de contato.

Lentes coloridas: como escolher a ideal para você?

Usar lentes de contato coloridas é sempre divertido, pois elas podem mudar sua aparência, alterando a tonalidade do olho. Existem diversos tipos para atender necessidades distintas.

No entanto, com tantos modelos de lentes disponíveis, você pode ficar em dúvida sobre como escolher a ideal para você e, portanto, vamos falar mais sobre isso a seguir!

Como escolher as lentes coloridas ideais?

As lentes de contato evoluíram e são cada vez mais populares entre as pessoas por vários motivos. Alguns acham mais confortável do que os óculos, enquanto outros consideram apenas um acessório de moda.

Embora as lentes de contato coloridas sejam mais procuradas por questões estéticas, praticidade e conforto, escolher um par não é exatamente tão fácil como se supõe e, também, exige certos cuidados.

Existem importantes fatores a serem considerados antes de escolher sua lente. Semelhante a comprar outros produtos medicinais, você deve prestar o máximo cuidado ao adquirí-las. Nos últimos anos, lentes de contato coloridas se tornaram muito populares, mas isso não muda o fato de que você deve sempre conversar com seu médico oftalmologista antes de escolher um tipo específico, pois somente esse profissional está apto a fazer os exames adequados e indicar o tipo de lente certa para você.

A saber: entre a grande variedade de lentes de contato coloridas disponíveis, capazes de produzirem os mais distintos efeitos no rosto de quem as usa, existem dois grupos:

Lentes coloridas de realce

Essas lentes são projetadas para potencializar a cor natural dos olhos, sem transformar sua aparência natural. São ideais para pessoas que buscam adicionar mais intensidade à sua aparência.

Lentes coloridas opacas

As lentes de contato coloridas opacas têm uma tonalidade forte e sólida que pode alterar significativamente o tom dos olhos. Se a sua íris possui um tom mais escuro, como um marrom profundo, por exemplo, então você precisará usar lentes opacas para mudar a cor de seus olhos.

A influência dos cabelos e tons de pele na escolha das lentes coloridas

Lentes de contato coloridas têm efeitos diferentes nas pessoas e o poder de mudar surpreendentemente a sua aparência, transformando assim o seu visual. A combinação da lente escolhida com o tom de pele e os cabelos oferece uma gama de possibilidades de mudança. Sendo assim, vamos entender um pouco mais esse conceito para ajudar você a escolher o par de lentes mais adequado.

O primeiro fator a considerar antes de se decidir sobre o par de lentes é o seu tom de pele. Portanto, se você deseja uma lente de contato mais discreta, ou seja, que tenha uma função de realçar suas feições, mantendo assim uma aparência mais natural, é essencial avaliar o impacto que a mudança provocará em seu rosto.

Tons de pele mais claros permitem variações de cores mais naturais do que tons de pele morena, que, por outro lado, produzem um efeito incrível quando combinados com lentes mais brilhantes. Enquanto a pele negra permite efeitos fantásticos a uma ampla gama de tons. Entenda melhor os conceitos:

Tons de pele clara

Para pessoas com pele mais clara, quase todas as cores combinam muito bem. Entretanto, as diferentes tonalidades de azul, como mais escuro, aqua e turquesa, proporcionam um visual deslumbrante. Especialistas em moda e estética recomendam tons mais escuros e sóbrios para quem busca um visual elegante.

Tons de pele morena

Lentes de contato coloridas brilhantes são mais adequadas para a tez da pele morena, pois essas tonalidades de pele podem fazer seus olhos se destacarem quando combinados com a sua tez. Especialistas sugerem cores verde, avelã, mel, azul escuro e denim. Já cores como aqua e turquesa devem ser evitadas, pois não harmonizam muito bem com tons morenos de pele.

Tons de pele negra

Apesar de haver uma ampla gama de cores adequada para a pele escura, as cores mais quentes combinam perfeitamente com a pele negra. Se você está procurando uma aparência natural, então a melhor opção é marrom, violeta de dois tons, mel ou avelã. Por outro lado, tons como o marrom-mel e o denim proporcionam uma aparência mais exótica, porém, sem perder a naturalidade. É melhor evitar cores como o aqua e os tons rosados.

Além da cor da pele, a cor dos cabelos também exerce influência e tem a capacidade de potencializar o efeito visual. Por isso, vamos explorar também esse fator.

A influência da cor do cabelo na escolha das lentes de contato coloridas

Só para ilustrar, há um ditado popular que diz: “O cabelo é a moldura do rosto”. E, de fato, nada mais verdadeiro, afinal, uma moldura que não combine com um determinado quadro pode comprometer, e muito, a beleza de uma pintura.

Nesse sentido, no caso das lentes, os tons de pele também entram na equação.

Cabelos castanhos

Lentes de contato em cores escuras harmonizam muito bem com cabelos castanhos. Especialmente tons castanhos, como castanho-chocolate e castanho escuro, que dão um ar profundo ao seu olhar. Uma lente colorida no tom azul-esmeralda também é uma boa escolha.

Cabelos pretos

Lentes de contato de tons claros como azul ficarão ótimas em pessoas que possuem cabelos pretos e tons de pele mais clara. Já as lentes em diferentes tons de castanho dão um ar mais natural.

Cabelos loiros

A escolha óbvia para cabelos loiros é pelas lentes claras de azul e verde, que combinam muito bem. Porém, tons mais escuros de azul e castanho produzem um efeito deslumbrante e inesperado quando combinadas com essa cor de cabelo.

Dicas finais para a escolha da lente colorida ideal:

Por fim, uma vez definida a cor da lente, vale a pena experimentar variações de tons desta mesma cor. Teste também um tom diferente em cada olho. Compare os dois tons de cores e veja qual deles combina melhor com você. Se possível, faça essa verificação sob a luz do sol.

Ademais, opte sempre por uma lente reconhecidamente confiável e de boa procedência, como é o caso das lentes produzidas pela Central Oftálmica, que em breve irá lançar a linha BioSoft Colors.

As lentes de contato Biosoft Color são fabricadas com material de polimacon clássico, amplamente reconhecido por seu desempenho durável e confiável em todos os ambientes. Os benefícios incluem movimento ideal, conforto aprimorado e olhos incrivelmente bonitos.

Seu design especial Multi Curve oferece conforto incomparável, perfil de borda fina, maior centralização e ótica Premium.

Os pigmentos usados são corantes aprovados pela FDA e em conformidade com as regulamentações dos EUA.

Para saber mais sobre essa e outras lentes de qualidade, acesse centraloftalmica.com.br.

Conclusão

Gostou desse conteúdo? Acesse nosso Blog para mais dicas sobre saúde ocular ou Confira outros artigos sobre beleza ocular!

Conheça tudo sobre lentes de contato natural Hoje mesmo!

Entenda as diferenças entre lentes rígidas e gelatinosas

Lentes de contato coloridas: Quais os tipos disponíveis no mercado?

Como são produzidas as lentes de contato?

O que acontece quando fico alguns dias sem retirar as lentes de contato?

As lentes de contato percorreram um longo caminho evolutivo nas últimas décadas. Pesquisas e muita tecnologia propiciaram o advento e o desenvolvimento de materiais incríveis, como é o caso das lentes gelatinosas, que possibilitam um tempo de uso bem maior do que era possível anos atrás. Mas quantos dias sem retirar as lentes podemos ficar?

Certamente muitos acabam extrapolando o que se deve considerar como “uso prolongado”, passando por longos períodos sem removê-las. E qual a consequência disso? Bem, a seguir vamos falar sobre o que acontece quando se fica alguns dias sem retirar as lentes de contato.

Cuidados com o uso das lentes de contato

Existem duas regras básicas que todos aqueles que usam lentes de contato devem seguir: praticar boa higiene e tirar as lentes antes de dormir. São cuidados imprescindíveis. Exagero?

Muitos podem pensar que enxaguar suas lentes no soro fisiológico ou tirar uma soneca usando as lentes não é exatamente um problema. Mas a verdade é que, sim, esses são exemplos de condutas que não devem ser adotadas!

Há um espaço entre a córnea e a lente que é extremamente propício ao surgimento de bactérias e micro-organismos. Além disso, a lente de contato não deixa o olho “respirar” adequadamente. Isso faz com que infecções sejam criadas na córnea, que acaba se tornando um ambiente favorável à proliferação destes seres microscópicos.

Ou seja, quando você não usa a solução de limpeza adequada ou não guarda suas lentes adequadamente, já está aumentando suas chances de contrair uma infecção. Chances essas que serão maiores ainda caso permaneça com elas nos olhos por mais tempo do que o recomendado pelo fabricante.

Os olhos precisam respirar

Mesmo que suas lentes de contato sejam extremamente macias e confortáveis, dificilmente seu médico oftalmologista irá recomendar que você durma com elas durante a noite.

A questão é que, mesmo que não cause desconforto, a lente cria uma vedação sobre a córnea, prendendo o fluido e impedindo que o oxigênio alcance seu olho nessa área. Isso cria um ambiente anaeróbico perfeito para que micro-organismos como bactérias e amebas cresçam e se multipliquem.

Similarmente danoso, o uso prolongado da lente também impede esta parte da córnea de obter lubrificação e nutrição geradas pelas lágrimas e pelos fluidos gelatinosos dos seus olhos. Então, o uso das lentes por um período acima do recomendado por seu médico favorece a ocorrência de uma infecção ocular.

Mãos limpas sempre ao manusear as lentes

Sempre que possível, evite enxaguar suas lentes de contato com água da torneira ou soro fisiológico. As mãos, sim, devem ser lavadas na torneira sempre antes de se manusear as lentes, cuja higienização, por sua vez, deve ser feita através de soluções de limpeza próprias para lentes de contato, que são preparadas para mantê-las limpas e esterilizadas, uma vez que criam um ambiente hostil para a formação de bactérias e outros agentes infectantes.

Por isso, tenha em mente que se, por exemplo, você remove suas lentes antes de lavar as mãos, provavelmente você introduziu algumas bactérias nelas.

Todavia, se você usar as soluções de limpeza indicadas por seu médico, e dentro do prazo de validade, todas as noites, não deverá ter problemas com infecções bacterianas, principalmente se lavar as mãos antes de tocar nos olhos ou nas lentes.

Além disso, fique atento a situações corriqueiras, como tomar banho usando lentes de contato, por exemplo. O ideal é remover as lentes antes de entrar no chuveiro, pois, como explicamos acima, a água encanada, ao contrário das soluções de limpeza, contém bactérias. Mas, calma, se já entrou no banho e ainda está com as lentes, evite levar muita água aos olhos.

Variedades de lentes

Como mencionamos no início deste artigo, as lentes evoluíram muito ao longo dos anos. Hoje, além de materiais modernos e funções distintas, como estética ou correção de determinado problema ocular, as lentes também podem variar entre lentes de uso diário ou estendido.

Uma lente de contato de uso diário pode ser usada por cerca de 10 horas por dia e é projetada para ser removida antes do usuário dormir.

Com efeito, as lentes de uso contínuo são descartadas após o tempo de duração especificado. Estas lentes estão ficando cada vez mais populares, devido à sua conveniência. As lentes de contato de uso estendido e uso contínuo podem ser usadas por períodos tão longos porque elas possuem uma alta permeabilidade ao oxigênio (tipicamente 5-6 vezes maiores que as lentes soft tradicionais), o que as permitem permanecerem no olho sem causar problemas de infecção. Reforçando que o uso prolongado de lentes de contato, mesmo as de uso contínuo, só deve ser feito mediante aprovação médica.

Desenvolver bons hábitos de higiene quando você coloca e retira suas lentes de contato pode salvá-lo de uma infecção desagradável. Converse com seu oftalmologista sobre soluções de limpeza recomendadas e dicas para manter suas lentes livres de bactérias.

Lentes de contato de qualidade

Outro ponto tão importante quanto usar as lentes de forma correta ou limpá-las adequadamente é usar lentes de contato de qualidade.

Aqui na Central Oftálmica você encontra produtos de excelente qualidade e com Tecnologia de Alto Desempenho, fundamentada nas normas e requisitos legais exigidos pela vigilância sanitária. As lentes são desenvolvidas dentro do sistema “Micro Molden System”, uma tecnologia exclusiva da Central Oftálmica, entre outras inovações, como as lentes de Silicone Hidrogel – Super-permeáveis, entre outras tecnologias à sua disposição.

Assine a Newsletter da Central Oftálmica e fique por dentro de novidades e dicas importantes sobre lentes de contato.